A AÇÃO DO OZÔNIO NO ARMAZENAMENTO DE  FRUTAS E HORTALIÇAS:

Amplamente utilizado na preservação de alimentos em Armazéns e/ou em câmaras frigoríficas, o Ozônio em concentrações baixas (0,05 ppm), ou em câmaras frigoríficas, aumenta a durabilidade das frutas e hortaliças por muito mais tempo, evitando ou destruindo mofo e o crescimento de bactérias, prejudiciais aos vegetais e frutas. O ozônio melhora a qualidade dos alimentos e impede que odores passem de um produto para outro.

A principal utilidade do Ozônio na preservação  de alimentos é a eliminação de bactérias, preservando a umidade dos mesmos , com menor perda de peso.

Estes resultados são obtidos numa atmosfera ozonizada:
– Ausência de mofo nos alimentos e embalagens;
– Ambiente mais higiênico para as pessoas e para os novos lotes de frutas e hortaliças;
– Aumento da vida útil dos alimentos, gerando também economia nos custos;
– Conservação de peso com alto grau de umidade;
– Melhor qualidade interna, possibilitando melhor preço pelo aspecto dos alimentos;
– Excelente aparência externa;
– Redução nas perdas de produtos por deterioração;

Além disso, o Ozônio atua sobre o etileno, rompendo seu duplo laço de hidrocarburo, destruindo por oxidação, e como sabe que está comprovando que o etileno atua no sentido de ativar o “metabolismo” de certas frutas (bananas, laranjas, maçãs, peras, etc.) ativando sua “intensidade respiratória”, o Ozônio, em concentrações de 0,05 ppm, retarda a maturação de frutas, que é o objetivo quando as mesmas são refrigeradas.

C2H4 + 2 O3        →     2 CO2 + 2 H2O

A AÇÃO DO OZÔNIO NAS DIFERENTES FRUTAS E VEGETAIS:

Continuando, detalhamos distintos exemplos sobre a ação do Ozônio nas diferentes frutas e vegetais.

Maçãs – Todas as classes, podem ser ozonizadas nos armazéns frigoríficos. Na concentração de 0,1 a 0,2 ppm, com o maior grau higrométrico, sem que se formem mofos nos produtos, nem nas embalagens. O ozônio, por ser desodorizante, elimina as emanações gasosas procedentes da respiração e do metabolismo da fruta.

Maçã – ao respirar uma atmosfera saudável e sanitizada, conserva seu autêntico sabor. Ao eliminar a emanação de odores, é possível misturar no mesmo armazém frigorífico as diversas classes de maçãs, conservando em cada uma delas, suas características peculiares.

Pêssegos – Conservados em atmosfera ozonizada, numa proporção de 0,2 ppm é possível aumentar sua durabilidade, conservando todas suas propriedades, assim como seu aroma característico. O pêssego sai fresco, sem sinal de haver sido atacado pelos criptógamos menores.

Bananas – O Ozônio inibe a maturação da banana. No transporte via marítima, com um ambiente ozonizado e com uma temperatura adequada, as bananas permanecem verdes, sem maturar antes do tempo. Todas as emanações que produzem são eliminadas, sem contaminar o ambiente. Durante o processo de maturação não se deve ozonizar, por que assim sendo, a fruta não maturaria. Uma vez maduro, é conveniente ozonizar para dar uma maior vida ao produto, conservando-o em perfeitas condições.

Tomates – O Ozônio consegue uma maior duração do tomate, endurecendo sua cutícula e evitando os mofos, geralmente causados por umidade. Os tomates assim conservados sofrem menos estragos durante seu transporte e período de comercialização.

Frutas pequenas – 0,05 ppm de Ozônio no ambiente das câmaras de armazenagens de frutas consideradas pequenas, tais como uvas, limões, morangos, amoras, abricós, ameixas, etc., não somente  reduz o crescimento do mofo, mas também melhora o aroma e principalmente, o aspecto externo de muitas destas frutas, retardando o aparecimento de manchas sobre a pele das mesmas.

Vegetais em geral – Todos os vegetais que se submeteram ao tratamento com Ozônio nas câmaras frigoríficas, ou imersão em água ozonizada, tiveram sua conservação ampliada, inclusive fora das câmaras. Um bom exemplo é a batata, que retarda o crescimento de talos e prevê ou paralisa uma grande variedade de enfermidades produzidas por fungos.

Entre em contato conosco e tire suas dúvidas: