Quando o Ozônio pode prejudicar?

Quando o Ozônio atinge a concentração de 1.55 ppm ou mais, é desaconselhável a permanência de pessoas no ambiente, pois esses níveis o Ozônio são altamente prejudiciais ao nosso sistema respiratório.

As associações ligadas ao Ozônio Industrial criaram um padrão para esses níveis, mas a tabela abaixo demonstra que para cada país existe um padrão diferente, pois os estudos considerados por essas associações nem sempre se utilizam das mesmas fontes científicas.

Mesmo com as disparidades, percebemos que os limites apresentados são bem próximos entre eles, credibilizando as informações:

Acima estão os limites para manter as pessoas em um ambiente com concentração de Ozônio  segura:

As concentrações de Ozônio multiplicadas pelos tempos de exposição apresentadas na tabela são referências para a observação dos limites entre aceitável e insalubre.

  • Quando o Ozônio atinge uma concentração de 0.02 ppm, pessoas com sensibilidade nasal podem perceber, o que é chamado de “ponto de extremidade de corte”.
  • Quando essa concentração atinge  0.15 ppm, é chamado de ponto de extremidade cheiro, onde o odor do Ozônio pode ser percebido por pessoas comuns, também chamado como “ponto saudável padrão”.
  • Além disso, quando a concentração de Ozônio atinge 1.10 ppm, ela é chamada de “escopo a estimulação”.
  • Quando essa concentração supera os 10 ppm, é o ponto de “extremidade venenosa”.

A aplicação adequada do Ozônio evita que pessoas sintam sua presença. Para que o Ozônio ofereça benefícios à nossa saúde, é ideal que sua concentração seja inferior a 0.10 ppm no ambiente.

É extremamente importante salientar que o Ozônio tem sido aplicado por mais de 1 século em inúmeros processos, e até então não há sequer um registro de envenenamento causado por sua aplicação.

Deixe uma resposta