A utilização do Ozônio na crise da água

Nosso Ecossistema vem sendo prejudicado pelo mau uso do solo, através de crimes ambientais, praticados por indústrias, e atitudes desrespeitosas de parte da população que, muitas vezes, utilizam rios e lagos na desova de detritos de todas as espécies.

Nosso planeta possui uma quantidade mais do que suficiente de água, a questão é que, para que seja consumida, grande parte dessa ãgua deve passar por processos de tratamento, principalmente quando utilizada na alimentação, higiene pessoal e na rede hospitalar.

O sistema Pluvial naturalmente nos oferece um processo de purificação, mas não tem dado conta ao excesso de agentes químicos depositados constantemente nas águas. Nos últimos anos enfrentamos uma crise crescente na falta de água devidamente tratada, num patamar alarmante, talvez o mais alto das últimas 4 décadas. Esse quadro, se persistir, nos levará a um senário onde a água se tornará um bem escasso e, por isso, caríssimo.

A rigidez nas leis ambientais está cada vez maior perante essa questão, em todo o mundo, e a capacidade de monitoramento e controle dos órgãos responsáveis estão cada vez mais eficazes.

O Ozônio pode ser uma das melhores opções para resolver essa questão, mas como ?

Alta voltagem descarregada no ar atmosférico transforma O2 (Oxigênio) em O3 (Ozônio). A simplicidade desse processo, e a abundância de Oxigênio em nossa atmosfera, faz com que o Ozônio seja um sistema altamente eficaz no processo de purificação da água. com baixíssimo custo. Além disso, a ozonização não gera resíduos químicos, eliminando totalmente vírus, bactérias e demais agentes poluentes, e permitindo a reutilização da água tratada inúmeras vezes.

Atualmente, mais de 90% dos tratamentos de água por todo o mundo são feitos com Ozônio, incluindo a descontaminação de embalagens de armazenamento. O Ozônio remove toxinas, fungos, vírus, matéria orgânica e outros contaminantes, com eficácia muito superior ao Cloro, e é aprovado pelo FDA – Food and Drug Administration (órgão governamental dos EUA responsável pelo controle de qualidade dos alimentos).

O tratamento com Ozônio também não deixa odor, e depois de utilizado no processo de purificação, é convertido novamente em oxigênio, sem deixar vestígios, ou seja, além de otimizar os sistemas de purificação, não realimenta processo de contaminação.

A qualidade de nossa água no futuro depende de nossas ações no presente.

OZONIC – fabricando geradores de Ozônio para fabricarmos um futuro melhor.

Deixe uma resposta