Ozônio em criação de frangos

O Ozônio é a solução mais eficaz para ser utilizada em todas as etapas na criação e processamento dos frangos. Desde a água servida â eles, na higienização do ambiente em que vivem, até o processamento final, após o abate. Os cuidados especiais exigidos em todo esse processo, a fim de alcançar o bem estar dos animais e maximizar a produtividade e qualidade da produção, são obtidos pela utilização do Ozônio, que abrange:

  • Controle de odor;
  • Prevenção de epidemias;
  • Manutenção de ambiente higienizado;
  • Obtenção de espécimes saudáveis;
  • Redução de antibióticos;

No processamento da carne, a eliminação de bactérias é feita de forma completa e simples, e cientificamente comprovada, apenas utilizando água ozonizada na limpeza de carcaças e nos equipamentos de corte.

A Presença do Ozônio em nossas vidas é muito mais abrangente do que podemos imaginar, e sua aplicação se expande a cada dia, apontando para um surpreendente patamar num futuro bem próximo, segundo estudos científicos.

OZONIC - pioneira na fabricação de geradores de Ozônio


Ozônio em Diálise

A inibição do crescimento bacteriano e remoção de biofilmes no circuito hidráulico de Unidades de Hemodiálise já são praticados de maneira altamente eficaz, oferecendo um alto nível de segurança aos usuários desses equipamentos.

O risco de contaminação da água utilizada em equipamentos de hemodiálise é altíssimo, pela ausência do Cloro, previamente removido através de carvão ativado. A solução de diálise apresenta nutrientes como sais minerais e glicose, como também nutrientes orgânicos provenientes do próprio paciente, gerados por ultra filtração e diálise.

O concentrado de Bicarbonato é um risco para gerar infecção, e a precipitação inerente de sais de cálcio e magnésio determina a formação de irregularidades na luz do circuito hidráulico, facilitando o alojamento e proliferação de bactérias, e geração de biofilmes.

Pode haver também espaço morto no circuito hidráulico interno, e períodos de estagnação de água sem cloro dentro das máquinas, entre as sessões de diálise. A indução de resposta inflamatória crônica nos pacientes em hemodiálise está bem determinada, tanto por lipopolissacarídios como exotoxinas.

Fragmentos de DNA de bactérias foram detectados recentemente no dialisato (solução de diálise), com uma capacidade comprovada de induzir resposta imune.

O Ozônio destrói bactérias, vírus, endotoxinas, esporos e biofilmes, devido à sua alta capacidade oxidativa. Não permite o desenvolvimento de resistência bacteriana, pois afeta a membrana citoplasmática e sistemas enzimáticos, determinando a lise das células.

O protocolo com Ozônio, além de ser muito mais eficaz do que com o Ácido Peracético, promove níveis significantes de redução no tempo de procedimento, podendo ser utilizado diariamente, sempre após o último turno de diálise, e em apenas 30 minutos, já que o Ozônio se transforma em Oxigênio após 15 minutos. Sendo assim, não existe risco de resíduos químicos permanecerem no circuito hidráulico, e o custo do Sistema com Ozônio é muito inferior ao Ácido Peracético, pois é gerado na própria unidade.

O Ozônio destrói por completo o biofilme e também suas bactérias, devido as altas taxas de oxi-redução. Estudos em segmentos removíveis de circuitos hidráulicos de equipamentos de hemodiálise comprovam isso, por meio de microscopia eletrônica.

Atualmente, mesmo em hemodiálise convencional, é recomendado um nível altíssimo de descontaminação, para que se evite reações inflamatórias crônicas em pacientes com níveis elevados de endotoxina na solução de diálise.

O correto emprego do Ozônio dissolvido na água surge como método seguro, prático e barato para a efetiva descontaminação de monitores de hemodiálise, que continua sendo uma preocupante dificuldade operacional. Esse método é altamente eficaz para prevenir e remover bactérias e biofilmes.

A OZONIC desenvolveu o Gerador OZONIC C20, com timer que permite a automação do processo, e é o mais indicado para esse fim.

OZONIC - pioneira na fabricação de geradores de Ozônio


Ozonioterapia no Futebol

A Ozonioterapia é utilizada em diversos países há mais de 200 anos, até mesmo por atletas profissionais. É o caso de Cristiano Ronaldo, um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos, que está se submetendo à Ozonioterapia para tratar de uma lesão no tendão patelar.

“A Ozonioterapia proporciona a regeneração da cartilagem e o fortalecimento de todo o corpo” diz o atleta, que descobriu recentemente as vantagens inigualáveis da aplicação do Ozônio, de maneira metódica, e sempre feita por profissionais da saúde preparados para essa terapia.

Além da declaração de Cristiano Ronaldo sobre os benefícios do Ozônio na recuperação de patologias, também podemos destacar a oxigenação das células do corpo, a ativação do sistema imunológico, e o alto poder bactericida que a Ozonioterapia promove.

A OZONIC vem acompanhando ha 3 décadas a gradativa aceitação da Ozonioterapia por profissionais da saúde, e tem motivos de sobra para comemorar a declaração de Cristiano Ronaldo a respeito da utilização do Ozônio em sua recuperação física, pois sabemos do poder que o exemplo de uma celebridade em destaque tem, e pode contribuir para a liberação de seu uso pelos médicos no Brasil.

Já conseguimos um avanço com a publicação no Diário oficial da UNiao a inclusão da terapia como terapia complementar (Página 74 da Seção 1 do Diário Oficial da União (DOU) de 22 de Março de 2018), que aprova a definição das práticas de Aromaterapia, Apiterapia, Bioenergética, Constelação Familiar, Cromoterapia, Geoterapia, Hipnoterapia, imposição de mãos, medicina Antroposófica/antroposofia aplicada à saúde, Ozonioterapia, terapia de Florais e Termalismo Social/Crenoterapia à Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares apresentadas no Anexo A.

Art. 2º As práticas citadas neste Anexo atenderão às diretrizes da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS.


Ozônio em Lavanderia

O Ozônio tem um importante papel no processo de lavagem e higienização de roupas, principalmente em lavanderias de grande porte, pois além da alta qualidade nos resultados finais do processo, a redução de produtos químicos utilizados é enorme, em média de 60%, em alguns produtos, essa redução chega a atingir a totalidade. Com isso, o volume de efluente gerado também cai drasticamente. Quanto à utilização de energia elétrica, pode-se obter uma redução de 50%, pelo fato de não haver a necessidade de gerar vapor no processo de lavagem.

Esses resultados são reais, já experimentados por lavanderias que se utilizam do Ozônio, o que faz com que todo o investimento em Geradores de Ozônio seja absorvido em curtíssimo prazo.

Em atividades produtivas ou prestadoras de serviços, o custo de matérias-primas/insumos é bastante representativo na composição dos custos, e nas lavanderias industriais (em hospitais, hotéis, etc.) isso não é exceção. Água, detergentes, alvejantes, amaciantes, acidulantes, energia elétrica e tratamento de efluentes são elementos determinantes nos custos operacionais, e o Ozônio minimiza a utilização destes insumos, reduzindo custos e aumentando produtividade e qualidade, além de ser um efluente bem menos agressivo ao meio ambiente.

O cliente também experimenta um resultado melhor em suas roupas, com um acabamento aveludado, principalmente no jeans. O Ozônio no jeans oferece uma limpeza profunda e perfeita, e um toque especial em sua aparência.

O Ozônio atua na oxidação de elementos que constituem as paredes celulares dos microorganismos. Ao penetrar no interior dos microorganismos, age sobre os componentes essenciais (enzimas, proteínas, DNA e RNA). A destruição da célula ocorre quando parte de sua parede é rompida.

A OZONIC desenvolveu o PROCESSO DE LAVAGEM COM OZÔNIO, tecnologia de ponta já implantada em inúmeras lavanderias, cada vez mais utilizada. Desenvolvendo e fabricando Geradores de Ozônio desde 1988, a OZONIC assegura ao longo do tempo a manutenção corretiva de seus equipamentos e um pós-venda dignos de confiança. Por ser fabricante, também oferece os melhores preços.

Se sua empresa ainda não investiu nos Geradores de Ozônio, entre em contato com a OZONIC e informe-se a respeito, pois esses geradores são verdadeiros Geradores de Economia.

Referências de lavanderias que utilizam os equipamentos OZONIC:

  • ACQUA DOCE LAVANDERIA LTDA – (19) 3885-6200
  • ACQUARIAM LAVANDERIA – (15) 3261-6195
  • PERKY IND E COM DE ROUPAS LTDA EPP – (15) 3239- 3300
  • ARIAN LAVANDERIA – (15) 3261-6195 – Marcelo
  • LAUNDRY JEANS LAVANDERIA LTDA – (21) 2956-3322
  • LB BENEFICIAMENTOS TEXTEIS  LTDA – (21) 2701-3010
  • LAVIVEST LAVANDERIA – (44) 99771007
  • GROTEM INDUSTRIA E COMERCIO DE CONFECCOES LTDA – (19) 38259170
  • DL LAVANDERIA INDUSTRIAL – (44 ) 36296197
  • TECHNOLAV – ( 43) 3571-3693 – Roberto
  • LAVIVEST – (44) 9978-3392 – Joaquim
  • PRISMA LAVANDERIA – (48) 3435-4040 – Palmas
  • SOUL CLEAN LAVANDERIA – (37) 3318-0720 – Alessandro Perim


A utilização do Ozônio na crise da água

Nosso Ecossistema vem sendo prejudicado pelo mau uso do solo, através de crimes ambientais, praticados por indústrias, e atitudes desrespeitosas de parte da população que, muitas vezes, utilizam rios e lagos na desova de detritos de todas as espécies.

Nosso planeta possui uma quantidade mais do que suficiente de água, a questão é que, para que seja consumida, grande parte dessa ãgua deve passar por processos de tratamento, principalmente quando utilizada na alimentação, higiene pessoal e na rede hospitalar.

O sistema Pluvial naturalmente nos oferece um processo de purificação, mas não tem dado conta ao excesso de agentes químicos depositados constantemente nas águas. Nos últimos anos enfrentamos uma crise crescente na falta de água devidamente tratada, num patamar alarmante, talvez o mais alto das últimas 4 décadas. Esse quadro, se persistir, nos levará a um senário onde a água se tornará um bem escasso e, por isso, caríssimo.

A rigidez nas leis ambientais está cada vez maior perante essa questão, em todo o mundo, e a capacidade de monitoramento e controle dos órgãos responsáveis estão cada vez mais eficazes.

O Ozônio pode ser uma das melhores opções para resolver essa questão, mas como ?

Alta voltagem descarregada no ar atmosférico transforma O2 (Oxigênio) em O3 (Ozônio). A simplicidade desse processo, e a abundância de Oxigênio em nossa atmosfera, faz com que o Ozônio seja um sistema altamente eficaz no processo de purificação da água. com baixíssimo custo. Além disso, a ozonização não gera resíduos químicos, eliminando totalmente vírus, bactérias e demais agentes poluentes, e permitindo a reutilização da água tratada inúmeras vezes.

Atualmente, mais de 90% dos tratamentos de água por todo o mundo são feitos com Ozônio, incluindo a descontaminação de embalagens de armazenamento. O Ozônio remove toxinas, fungos, vírus, matéria orgânica e outros contaminantes, com eficácia muito superior ao Cloro, e é aprovado pelo FDA – Food and Drug Administration (órgão governamental dos EUA responsável pelo controle de qualidade dos alimentos).

O tratamento com Ozônio também não deixa odor, e depois de utilizado no processo de purificação, é convertido novamente em oxigênio, sem deixar vestígios, ou seja, além de otimizar os sistemas de purificação, não realimenta processo de contaminação.

A qualidade de nossa água no futuro depende de nossas ações no presente.

OZONIC – fabricando geradores de Ozônio para fabricarmos um futuro melhor.


International Ozone Association

A IOA (International Ozone Association) é uma Organização formada em 1973, e reúne cientistas, projetistas, técnicos, engenheiros e fabricantes dos setores ligados ao desenvolvimento, pesquisas e fabricação de equipamentos geradores de Ozônio e seus periféricos. O intuito é somar experiências e dados de pesquisa, juntamente com usuários, para alimentar um ponto focal de compartilhamento de tecnologia, mantendo um constante avanço na utilização do Ozônio, das mais diversas formas.

A OZONIC, sendo pioneira na fabricação de Geradores de Ozônio no Brasil, é membro da IOA, e há 30 anos é uma das peças fundamentais na história do desenvolvimento das aplicações do Ozônio em inúmeros setores.

Portanto, pensou em Ozônio, pense em OZONIC.


Descupinização com Ozônio

Conhecidos popularmente como “Cupins”, os Isópteros ou Isoptera, apresentam quase 3.000 espécies de insetos. A maioria dessas espécies são benéficas para o biosistema, e desempenham importantes papéis como grandes decompositores e equilibradores de níveis volumétricos entre o Carbono e o Nitrogênio.

Mesmo sendo apenas cerca de 10% dessas espécies classificadas como pragas, possuem a capacidade de dizimar plantações inteiras e destruir produtos manufaturados, como madeira e outros materiais celulósicos. O prejuízo que são capazes de gerar é muito preocupante, pois o volume dessas pragas é enorme.

Para combater essas pragas, existem técnicas e produtos desenvolvidos especificamente para isso, mas o Ozônio é de longe o mais indicado, pela sua altíssima eficácia, não gerando resíduo químico algum. A descupinização é completa, sem efeitos colaterais negativos ao meio ambiente, nem mesmo às demais espécies biológicas, incluindo o homem.

A OZONIC, pioneira em desenvolvimento e fabricação de Geradores de Ozônio, oferece suporte total para que esses equipamentos sejam aproveitados em sua plenitude, gerando Ozônio e economia à sua empresa.


Ozônio na indústria de frangos

Em todas as etapas de criação e processamento do frango, a utilização do Ozônio é a perfeita solução, desde a água utilizada na alimentação e higienização do ambiente em que são criados, até o processamento final após o abate, que exige cuidados especiais, para maximizar produtividade e qualidade, além de oferecer um elevado bem estar aos animais. A desinfecção é primordial, e a ozonização oferece resultados plenamente satisfatórios, abrangendo:

  • Controle de odor;
  • Prevenção de epidemias;
  • Manutenção de ambientes higienizados;
  • Obtenção de espécimes saudáveis;
  • Redução de antibióticos;

A eliminação de bactérias no processamento da carte é simples e 100% eficaz, cientificamente comprovada, bastando utilizar água ozonizada na limpeza das carcaças e dos equipamentos de corte.

A presença do Ozônio, como podemos comprovar, é cada vez mais ampla em nossas vidas, e novos estudos científicos sugerem que essa presença se expandirá ainda mais, elevando sua aplicação a níveis surpreendentes. A OZONIC acompanha essa expansão em suas pesquisas e investimentos, para que possa continuar sendo referência em Geradores de Ozônio.


Quando o Ozônio pode prejudicar?

Quando o Ozônio atinge a concentração de 1.55 ppm ou mais, é desaconselhável a permanência de pessoas no ambiente, pois esses níveis o Ozônio são altamente prejudiciais ao nosso sistema respiratório.

As associações ligadas ao Ozônio Industrial criaram um padrão para esses níveis, mas a tabela abaixo demonstra que para cada país existe um padrão diferente, pois os estudos considerados por essas associações nem sempre se utilizam das mesmas fontes científicas.

Mesmo com as disparidades, percebemos que os limites apresentados são bem próximos entre eles, credibilizando as informações:

Acima estão os limites para manter as pessoas em um ambiente com concentração de Ozônio  segura:

As concentrações de Ozônio multiplicadas pelos tempos de exposição apresentadas na tabela são referências para a observação dos limites entre aceitável e insalubre.

  • Quando o Ozônio atinge uma concentração de 0.02 ppm, pessoas com sensibilidade nasal podem perceber, o que é chamado de “ponto de extremidade de corte”.
  • Quando essa concentração atinge  0.15 ppm, é chamado de ponto de extremidade cheiro, onde o odor do Ozônio pode ser percebido por pessoas comuns, também chamado como “ponto saudável padrão”.
  • Além disso, quando a concentração de Ozônio atinge 1.10 ppm, ela é chamada de “escopo a estimulação”.
  • Quando essa concentração supera os 10 ppm, é o ponto de “extremidade venenosa”.

A aplicação adequada do Ozônio evita que pessoas sintam sua presença. Para que o Ozônio ofereça benefícios à nossa saúde, é ideal que sua concentração seja inferior a 0.10 ppm no ambiente.

É extremamente importante salientar que o Ozônio tem sido aplicado por mais de 1 século em inúmeros processos, e até então não há sequer um registro de envenenamento causado por sua aplicação.


Ozônio em produção de Cogumelos

Entre milhares de espécies de cogumelos existentes, apenas cerca de 3.000 são comestíveis, com alto valor nutritivo. Muitos com propriedades medicinais, utilizadas desde a antiguidade.

Esses fungos atraem agricultores e investidores, pelo alto valor agregado em suas colheitas, porém apresentam muitos entraves na sua produção e manipulação.

Em geral, os cogumelos oferecem grandes colheitas, mas sua sensibilidade perante contaminações é considerável, preocupando seus produtores, levando em conta que essas contaminações podem condenar toda a produção.

O Ozônio pode ser considerado a melhor opção para o aproveitamento da produção desse fungo, oferecendo segurança, eficácia e principalmente custo-benefício surpreendente, não gerando quaisquer resíduos.

Assim o Ozônio torna-se o aliado perfeito na máxima customização de produção dessas iguarias, consumidas mundialmente.

Como isso é feito ?

  1. Entre colheitas, o ambiente do cultivo é lavado utilizando água ozonizada com alto índice (1…2 ppm de Ozônio). Esse processo de desinfecção é extremamente eficaz, substituindo produtos químicos.
  2. Antes do plantio, o Ozônio é aplicado em forma de gás por todo o ambiente. Esse procedimento é estendido também nos primeiros dias de cultivo, protegendo a produção de contaminação por esporos através de correntes de ar, ou pela presença de pessoas na área de produção.
  3. Após a colheita, os cogumelos são lavados com água ozonizada, eliminando a utilização do cloro, e reduzindo por completo teores residuais.

Salientamos que o Ozônio é considerado seguro como aditivo para água utilizada na produção de alimentos, conforme a Agência Reguladora sobre alimentos da Austrália, e pela FDA (Food and Drug Administration), agência dos Estados Unidos para Alimentos e Medicamentos.

Inúmeras fazendas Australianas de cogumelos utilizam o Ozônio para maximizar a produção e reduzir o emprego de produtos químicos.

Por: José Barazal Alvarez