Utilização do Ozônio em Vinícolas

O vinho mais caro do mundo é o Aurum Red, espanhol, é produzido em Las Pedroñeras, em Cuenca e custa em torno de 1,6 mil euros cada garrafa .

A vinícola Aurum Red foi fundada por Hilário García, que se dedicava a prestar assessorias a empresas até sofrer um problema grave de saúde em 2004, e ter que se afastar de suas funções. Na época, ele acabou recorrendo a um tratamento em Madrid com Ozonioterapia.


A terapia deu certo e o senhor Hilário decidiu saber mais sobre ozônio. Ele acabou montando um laboratório e várias clínicas e, entre um experimento e outro, acabou descobrindo que o tratamento não só podia ser aplicado para tratar enfermidades humanas e de animais, mas também para controlar pragas em plantas – entre elas, as videiras.

Hoje, a água usada para irrigar os vinhedos é tratada e enriquecida com ozônio. Mas não é só isso: na hora da poda, as plantas não podem ser feridas e são ozonizadas para promover a cicatrização e crescer mais rapido. Além disso, o local onde o vinho é produzido é completamente esterilizado com ozônio também para, assim, evitar a contaminação de agentes externos e permitir que a bebida envelheça em equilíbrio até o momento de ser engarrafada.


Também os barris de envelhecimento, que custam de 3 a 6 mil euros, também são lavados com água ozonizada para serem reutilizados e manterem o controle de biossegurança necessário para manter a qualidade do vinho.

Uma das maiores preocupações de vinícolas é a contaminação cruzada entre os lotes de vinhos que pode estragar o sabor dos vinhos.

Ao utilizar ozônio em adegas é possível obter um alto índice de economia, devido a redução do consumo excessivo de água e eliminação de produtos químicos. 

A utilização do ozônio em vinícolas é uma alternativa ecológica para desinfecção de barris, superfícies, equipamentos, limpeza de tanques, CIP de tubulação:

  • Barris: Realizar o enxague de barris e tanques de vinho com água ozonizada, sem utilização de químicos, elimina bactérias e leveduras, inclusive Brettanomyces (género de levedura na família Saccharomycetaceae).
  • Superfícies e Equipamento: Caixas de colheita, tanques, caixas, pisos, equipamentos de engarrafamento e as garrafas podem ser sanitizadas com água ozonizada.
  • Tanques: Os tanques de aço inoxidável se ficarem vazios por um período de aproximadamente 1 semana ou menos perde a sanitização inicial. O ideal é lavar com água ozonizada antes da nova utilização.
  • CIP: A higienização com ozônio está de acordo com os processos CIP (Clean in Place) e atende as normas de sanitização.

O nível de higienização com o uso do ozônio é comparável com os resultados obtidos com uso de soda cáustica. Sem utilização de química e com redução do custo de água. Os envolvidos no processo estarão isentos de insalubridade. 

O ozônio também pode e deve ser utilizado na preservação do tempo de vida útil das uvas, evitando perdas desnecessárias.

A água ozonizada também pode ser utilizada para irrigação dos vinhedos, eliminando pragas e conferindo maiores nutrientes para o cultivo das uvas.

A Ozonic fabrica geradores de ozônio que podem ser configurados para operação automatizada do processo de higienização, elimina desperdício e otimiza o aproveitamento do ozônio gerado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *