International Ozone Association

A IOA (International Ozone Association) é uma Organização formada em 1973, e reúne cientistas, projetistas, técnicos, engenheiros e fabricantes dos setores ligados ao desenvolvimento, pesquisas e fabricação de equipamentos geradores de Ozônio e seus periféricos. O intuito é somar experiências e dados de pesquisa, juntamente com usuários, para alimentar um ponto focal de compartilhamento de tecnologia, mantendo um constante avanço na utilização do Ozônio, das mais diversas formas.

A OZONIC, sendo pioneira na fabricação de Geradores de Ozônio no Brasil, é membro da IOA, e há 30 anos é uma das peças fundamentais na história do desenvolvimento das aplicações do Ozônio em inúmeros setores.

Portanto, pensou em Ozônio, pense em OZONIC.


Descupinização com Ozônio

Conhecidos popularmente como “Cupins”, os Isópteros ou Isoptera, apresentam quase 3.000 espécies de insetos. A maioria dessas espécies são benéficas para o biosistema, e desempenham importantes papéis como grandes decompositores e equilibradores de níveis volumétricos entre o Carbono e o Nitrogênio.

Mesmo sendo apenas cerca de 10% dessas espécies classificadas como pragas, possuem a capacidade de dizimar plantações inteiras e destruir produtos manufaturados, como madeira e outros materiais celulósicos. O prejuízo que são capazes de gerar é muito preocupante, pois o volume dessas pragas é enorme.

Para combater essas pragas, existem técnicas e produtos desenvolvidos especificamente para isso, mas o Ozônio é de longe o mais indicado, pela sua altíssima eficácia, não gerando resíduo químico algum. A descupinização é completa, sem efeitos colaterais negativos ao meio ambiente, nem mesmo às demais espécies biológicas, incluindo o homem.

A OZONIC, pioneira em desenvolvimento e fabricação de Geradores de Ozônio, oferece suporte total para que esses equipamentos sejam aproveitados em sua plenitude, gerando Ozônio e economia à sua empresa.


Ozônio na indústria de frangos

Em todas as etapas de criação e processamento do frango, a utilização do Ozônio é a perfeita solução, desde a água utilizada na alimentação e higienização do ambiente em que são criados, até o processamento final após o abate, que exige cuidados especiais, para maximizar produtividade e qualidade, além de oferecer um elevado bem estar aos animais. A desinfecção é primordial, e a ozonização oferece resultados plenamente satisfatórios, abrangendo:

  • Controle de odor;
  • Prevenção de epidemias;
  • Manutenção de ambientes higienizados;
  • Obtenção de espécimes saudáveis;
  • Redução de antibióticos;

A eliminação de bactérias no processamento da carte é simples e 100% eficaz, cientificamente comprovada, bastando utilizar água ozonizada na limpeza das carcaças e dos equipamentos de corte.

A presença do Ozônio, como podemos comprovar, é cada vez mais ampla em nossas vidas, e novos estudos científicos sugerem que essa presença se expandirá ainda mais, elevando sua aplicação a níveis surpreendentes. A OZONIC acompanha essa expansão em suas pesquisas e investimentos, para que possa continuar sendo referência em Geradores de Ozônio.


Quando o Ozônio pode prejudicar?

Quando o Ozônio atinge a concentração de 1.55 ppm ou mais, é desaconselhável a permanência de pessoas no ambiente, pois esses níveis o Ozônio são altamente prejudiciais ao nosso sistema respiratório.

As associações ligadas ao Ozônio Industrial criaram um padrão para esses níveis, mas a tabela abaixo demonstra que para cada país existe um padrão diferente, pois os estudos considerados por essas associações nem sempre se utilizam das mesmas fontes científicas.

Mesmo com as disparidades, percebemos que os limites apresentados são bem próximos entre eles, credibilizando as informações:

Acima estão os limites para manter as pessoas em um ambiente com concentração de Ozônio  segura:

As concentrações de Ozônio multiplicadas pelos tempos de exposição apresentadas na tabela são referências para a observação dos limites entre aceitável e insalubre.

  • Quando o Ozônio atinge uma concentração de 0.02 ppm, pessoas com sensibilidade nasal podem perceber, o que é chamado de “ponto de extremidade de corte”.
  • Quando essa concentração atinge  0.15 ppm, é chamado de ponto de extremidade cheiro, onde o odor do Ozônio pode ser percebido por pessoas comuns, também chamado como “ponto saudável padrão”.
  • Além disso, quando a concentração de Ozônio atinge 1.10 ppm, ela é chamada de “escopo a estimulação”.
  • Quando essa concentração supera os 10 ppm, é o ponto de “extremidade venenosa”.

A aplicação adequada do Ozônio evita que pessoas sintam sua presença. Para que o Ozônio ofereça benefícios à nossa saúde, é ideal que sua concentração seja inferior a 0.10 ppm no ambiente.

É extremamente importante salientar que o Ozônio tem sido aplicado por mais de 1 século em inúmeros processos, e até então não há sequer um registro de envenenamento causado por sua aplicação.


Ozônio em produção de Cogumelos

Entre milhares de espécies de cogumelos existentes, apenas cerca de 3.000 são comestíveis, com alto valor nutritivo. Muitos com propriedades medicinais, utilizadas desde a antiguidade.

Esses fungos atraem agricultores e investidores, pelo alto valor agregado em suas colheitas, porém apresentam muitos entraves na sua produção e manipulação.

Em geral, os cogumelos oferecem grandes colheitas, mas sua sensibilidade perante contaminações é considerável, preocupando seus produtores, levando em conta que essas contaminações podem condenar toda a produção.

O Ozônio pode ser considerado a melhor opção para o aproveitamento da produção desse fungo, oferecendo segurança, eficácia e principalmente custo-benefício surpreendente, não gerando quaisquer resíduos.

Assim o Ozônio torna-se o aliado perfeito na máxima customização de produção dessas iguarias, consumidas mundialmente.

Como isso é feito ?

  1. Entre colheitas, o ambiente do cultivo é lavado utilizando água ozonizada com alto índice (1…2 ppm de Ozônio). Esse processo de desinfecção é extremamente eficaz, substituindo produtos químicos.
  2. Antes do plantio, o Ozônio é aplicado em forma de gás por todo o ambiente. Esse procedimento é estendido também nos primeiros dias de cultivo, protegendo a produção de contaminação por esporos através de correntes de ar, ou pela presença de pessoas na área de produção.
  3. Após a colheita, os cogumelos são lavados com água ozonizada, eliminando a utilização do cloro, e reduzindo por completo teores residuais.

Salientamos que o Ozônio é considerado seguro como aditivo para água utilizada na produção de alimentos, conforme a Agência Reguladora sobre alimentos da Austrália, e pela FDA (Food and Drug Administration), agência dos Estados Unidos para Alimentos e Medicamentos.

Inúmeras fazendas Australianas de cogumelos utilizam o Ozônio para maximizar a produção e reduzir o emprego de produtos químicos.

Por: José Barazal Alvarez


Piscinas tratadas com Ozônio

Piscinas podem e são utilizadas como um poderoso e eficaz tratamento de saúde, para pessoas de todas as idades, além de oferecer um ambiente prazeroso. Há muito tempo deixou de ser uma exclusividade da classe alta, e popularizou-se através de clubes e academias, ficando muito mais acessível a todos.

Empresas com experiência e tecnologia de sobra estão no mercado construíndo piscinas dos mais diversos materiais, que vão desde o concreto armado até plásticos de alta resistência, oferecendo produtos de alta qualidade e durabilidade, que chegam a superar  as expectativas dos consumidores.

Mas a água utilizada nessas piscinas também deve oferecer um alto nível de qualidade, que só é possível  de se obter com tratamento adequado. E como definir essa qualidade, levando em conta que a aparência pouco demonstra sobre esse quesito, pelo menos a olho nú?

Seu corpo, a médio prazo, se encarregará disso, quando os efeitos colaterais dos produtos utilizados na limpeza e manutenção dessas piscinas começarem a prejudicá-lo. É importante lembrarmos que a pele é o maior órgão de nosso corpo, e está completamente exposta dentro de uma piscina, além dos olhos, cabelos e ouvidos.
E quais seriam os “vilões” encontrados na água de uma piscina?

Se a água não for tratada de maneira eficaz, encontraremos microorganismos nocivos à nossa saúde, como: Bactérias, fungos, vírus, protozoários, e outros, além de elementos químicos altamente tóxicos, como: Cloro, sulfato de alumínio, e outros, que fazem um verdadeiro estrago em nossa saúde, podendo ser absorvidos por nosso corpo em grandes doses em um simples mergulho.

Segundo a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), o Cloro é um pesticida, com objetivo de eliminar organismos vivos, e destrói células e tecidos em nosso organismo, dentro e fora do corpo !!!
O Alumínio absorvido pelo corpo é depositado nos rins, cérebro, pulmões, fígado e tireóide, concorrendo com o cálcio na absorção óssea. Recentes estudos relacionam o alumínio á doenças como Alzheimer, e por unanimidade especialistas afirmam que a exposição à esse elemento químico é altamente preocupante.
Além disso, as águas dessas piscinas acabam sendo despejadas em nossos esgotos, cedo ou tarde, levando toda essa “parafernália de porcarias” para nossos rios, que abastecem os reservatórios, e por consequência, nossas residências.

O Ozônio é a melhor opção para o tratamento adequado e altamente eficaz dessas águas, como detalhado abaixo:

  • Elimina completamente protozoários, vírus, bactérias, fungos e demais microorganismos da água;
  • Não gera resíduos, pois é composto de 3 moléculas de Oxigênio, sendo seu resíduo Oxigênio puro, se dissipa na atmosfera;
  • Dispensa outros elementos químicos no tratamento de piscinas, e gera considerável economia tanto financeira quanto de tempo, em sua utilização;
  • O Ozônio é abundante na natureza.
    Para obter esse tipo de tratamento, é necessário um equipamento gerador de Ozônio. Mas devemos nos atentar para as especificações do equipamento, uma vez que existem várias configurações disponíveis no mercado, para as mais diversas aplicações.
    A Empresa OZONIC é a pioneira na fabricação de Geradores de Ozônio, e pode oferecer, além do gerador e seus periféricos, uma orientação completa na utilização dos mesmos. Também está capacitada para oferecer ao mercado preços realmente baixos e assistência técnica completa, uma vez que é detentora de 100% da tecnologia desenvolvida e utilizada em seus produtos.
    Entre em contato e saiba tudo o que precisa para poder cuidar de sua piscina de forma correta, e por consequência, cuidar da saúde de todos que a utilizam.
    OZONIC – geradores de Ozônio.

Ozônio em Tecelagens

Os processos industriais utilizados em tecelagens são grandes geradores de poluentes, que vão desde os fertilizantes artificiais e pesticidas empregados no cultivo da matéria-prima, os corantes, fosfatos e metais pesados na produção, até a geração de resíduos no final do processo, como os iodos.

Dessa forma, a indústria têxtil se apresenta como uma das maiores geradoras de efluentes ricos em diversidade e complexidade química, contendo fibras, corantes e produtos químicos auxiliares na produção e no acabamento de seus produtos. Além disso, a elevada temperatura e pH de certos processos agravam essa situação.

As restrições apresentadas na legislação ambiental estão cada vez maiores, e as indústrias vem investindo em alternativas de tratamento para minimizar ao máximo esses efluentes, e o Ozônio tem sido ideal, por oferecer grande eficácia, sem gerar rastros residuais ao meio ambiente.

A OZONIC vem desenvolvendo Geradores de Ozônio cada vez mais sofisticados para oferecer sempre o melhor na eliminação de efluentes, com tecnologia de ponta 100% própria, podendo oferecer garantia de qualidade e suporte técnico total, e tudo isso com baixos custos.


Ozônio na Aviação Agrícola

A agricultura vem se beneficiando da aviação para exterminar quaisquer possibilidades de pragas, já ha décadas.

A água usada para a lavagem das aeronaves pulverizadoras possui níveis elevados de agrotóxicos, proibidos de serem descartados no meio ambiente. Considera-se crime inafiançável essa prática, desde 1999, segundo o decreto Nr.3179. Com isso, o tratamento de descontaminação dessa água para a eliminação de agrotóxicos, antes de retorná-la à natureza, é imprescindível.

As Autoridades ambientais restringem a liberação dos resíduos de pesticidas em rios e lagos a níveis baixíssimos, gerando a necessidade de sistema de descontaminação com alta eficácia, para eliminar esse problema. O CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) emite as normas que definem esses níveis, com a última resolução vigente em 17 de Março de 2005, de Nº 357. O órgão que fiscaliza esse processo é o IBAMA (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente) é o órgão fiscalizador desse processo.

a tecnologia mais adequada para a degradação das caldas residuais dos agrotóxicos nas águas de lavagem é a Ozonização, pois o Ozônio é o único oxidante capaz de ser produzido no campo, de maneira econômica e prática.

Essa tecnologia já está se estendendo para a descontaminação dos demais equipamentos agrícolas, trazendo enormes benefícios para a preservação do meio ambiente, reduzindo a poluição em rios e lagos, e do lençol freático que cresce na mesma proporção de nossa área cultivada.


Desinfecção das mãos com Ozônio e Ultrassom

Atualmente contamos com um admirável desenvolvimento tecnológico, mas apesar disso, nossas mais importantes ferramentas profissionais do ramo da saúde ainda são as mãos. Sendo a ligação entre médicos e pacientes, tornam-se potenciais transmissoras de micro-organismos, e por esse motivo devem ser esterilizadas da maneira mais eficaz.

Um dos principais métodos de esterilização é o uso do Ozônio, que age sobre a grande maioria de micro-organismos, incluindo patógenos resistentes, sem induzir resistência microbiana. A utilização de Água Ozonizada, em combinação com Gás Ozônio e Ultrassom, são aplicadas na higienização das mãos, oferecendo resultados completamente satisfatórios, com alta eficácia na redução do número de UFCs, incluindo regiões mais críticas, como a ungueal.

Saiba mais em:

Aplicação de Ozônio e Ultrassom na desinfecção das mãos de profissionais da saúde.

OZONIC – Pioneira na fabricação de Geradores de Ozônio


Produção de Ozônio por luz Ultravioleta

A OZONIC apresenta, de forma resumida, as desvantagens e os riscos gerados na produção de Ozônio por tubos de luz Ultravioleta:

  • Comprovadamente a exposição à luz UV é cancerígena, e provoca mutações celulares gravíssimas.
  • A quantidade de Ozônio produzida não pode ser controlada.
  • A produção de Ozônio pode ser interrompida sem aviso prévio, mesmo quando a luz espia indica o contrário.
  • De tempos em tempos, é necessária a substituição de ambas as lâmpadas, gerando um maior custo de manutenção.